Notícias

A ver os posts marcados analisador de qualidade de energia

Como manter eletricistas longe do perigo

Escrito por Rodrigo Cunha

A base de qualquer programa de segurança elétrica é limitar a exposição dos funcionários aos riscos elétricos de choque e descarga. A utilização de pontas de prova e grampos no interior de um painel energizado ao identificar um problema e executar manutenção de rotina sempre expõem os profissionais ao perigo. O equipamento de proteção individual (EPI) de eletricidade é uma última linha de defesa e nunca deve ser considerado como o método primário para proteger eletricistas e técnicos. Práticas de trabalho seguro, inclusive o uso de ferramentas de teste sem contato que não exigem que os trabalhadores que lidam com eletricidade coloquem-se em risco de ferimentos devem ser consideradas em primeiro lugar quando o assunto é segurança elétrica.

Sempre que os funcionários são expostos a riscos elétricos devem estabelecer limites e usar roupa com classificação de proteção apropriada, além de luvas de isolamento de borracha. Reduzir com segurança a quantidade de EPIs utilizados, o número de funcionários dentro dos limites e até mover completamente o técnico ou eletricista para fora de todos os limites e para longe do perigo potencial são os principais benefícios de segurança oferecidos pelas medições sem contato.

O passo mais simples

Entre as ferramentas de teste sem contato mais simples de serem usadas estão os termômetros infravermelho (IR) sem contato. A ferramenta projeta um raio laser onde a temperatura deve ser medida, obtendo uma uma leitura diretamente no display. A temperatura detectada depende da distância da ferramenta ao ponto da medição. É preciso ter cuidado para alcançar resultados precisos. Quando o assunto é segurança, utilizar um termômetro IR significa não ter a necessidade de subir escadas para verificar temperaturas de escapamento da ventilação, nenhum acesso a faixas e toneis quentes para investigar problemas do processo, nenhuma proximidade com eixos rotativos para verificar pontos quentes no motor e nenhum contato com o interior de painéis energizados para verificar a temperaturas de componentes.

Termômetros infravermelhos e visuais

Uma ferramenta mais avançada e prática é o termômetro IR visual. Além das características de termômetro de IR padrão, o termômetro visual fornece uma imagem digital que cria um mapa de aquecimento em infravermelho, como um termovisor. O termômetro de IR visual é mais preciso, pois não calcula apenas a média em áreas circundantes. Em vez disso, o mapa de aquecimento é combinado com uma imagem digital padrão, o que facilita a rápida identificação de áreas problemáticas. Você pode fazer o download de imagens digitais para o computador para uma análise mais aprofundada, o que lhe permite trabalhar a distâncias seguras, bem além dos limites de choque e de descarga em arco. O mapa de aquecimento de um termômetro visual permite a rápida identificação de condutores e terminais superaquecidos e possíveis riscos de incêndio pelas finalizações. Contatos e componentes elétricos superaquecidos podem indicar falhas de equipamento pendentes e possíveis problemas de descarga. Identificar e reduzir riscos são a meta de todos os programas de segurança.

Como usar um termovisor

Os termovisores não só captam e medem a energia infravermelha (calor) que emana de uma fonte, como produzem uma imagem térmica. Uma medição sem contato com um termovisor identifica o potencial de falha em tempo real e, o mais importante, mantém o técnico a uma distância muito mais segura enquanto diagnostica um problema potencialmente perigoso.Uma profissional treinado para utilizar um termovisor pode trabalhar como parte de uma equipe de dois homens (a pessoa qualificada adicional ajuda com a definição de limites e abertura de portas de gabinetes) e pode mover-se rapidamente por uma instalação identificando circuitos sobrecarregados, equipamento elétrico e mecânico rotativo defeituoso, além de problemas de processos térmicos. Evitar possíveis problemas de segurança ao corrigir a falha antecipadamente é outro requisito importante para um ambiente de trabalho seguro.

Ampliando a janela de segurança

Usar uma janela de infravermelho (IR) em conjunto com um termovisor amplia ainda mais o escopo de segurança. As janelas de IR relativamente pequenas e circulares podem ser permanentemente instaladas em gabinetes que fazem parte do programa de visualização térmica da instalação, ou podem ser montados em gabinetes de equipamentos que podem produzir uma descarga perigosa caso aconteça um acidente enquanto a porta estiver aberta. Ao inspecionar através de uma janela de IR classificada para resistir a uma descarga ou explosão, não é necessário nem abrir uma porta do gabinete. Como isso, praticamente não há exposição do técnico a choques ou descargas. É difícil para a área manutenção de rotina e a identificação de problemas terem algo mais seguro.

Mantenha sua distância Uma ferramenta que muitas vezes é subestimada ao lidar com a segurança é a trena a laser. Geralmente considerada apenas como um item de conveniência, esta ferramenta de medição de distância sem contato também aumenta a segurança ao realizar tarefas como a condução de um estudo sobre descarga em arco. Esta análise de engenharia exige medir os comprimentos entre o condutor e o equipamento. Em vez de usar trenas de aço e escadas com duas pessoas que se encontram em posições precárias perto e acima de bandejas de cabos e comutadores, a trena a laser permite realizar muitas medições de distância com segurança, a partir do chão e por apenas uma pessoa.

Não entre em contato com uma peça energizada

Os detectores de tensão sem contato permitem detectar tensões sem a necessidade de fazer contato com uma peça energizada. Para verificações rápidas de um receptáculo ou identificação de um problema em um circuito de iluminação, a utilização de um detector de tensão é mais segura do que a colocação de pontas de prova em um receptáculo e muito mais segura do que abrir caixas de conexões elétricas e de iluminação. Os usuários devem estar cientes que os detectores de tensão indicam apenas a alimentação no lado não aterrado do circuito; não indica no lado do condutor aterrado ou no neutro.

Mostrador remoto

Os multímetros de visor remoto permitem que as leituras sejam realizadas a até 9 metros do equipamento que está sendo monitorado. A unidade de display é retirada do multímetro enquanto o medidor e as pontas de prova (ou grampo) permanecem no ponto de medição. As aplicações de segurança incluem fechar a porta em um cubículo MCC ou desconectar e permanecer a uma distância segura para medir a corrente de partida do motor. Estar diretamente em frente a um acionador de motor quando um grande motor trifásico drena muitas vezes sua corrente normal de funcionamento na partida não é algo apropriado, mesmo com o EPI adequado.  Por isso, o uso de ferramentas sem contato reduz consideravelmente o risco ao pessoal.

Ferramentas sem fio

As ferramentas sem fios fornecem a tecnologia mais avançada para aprimorar a segurança. O próprio multímetro digital, por exemplo, por meio de seu display, pode ser mantido e observado a uma distância segura, de mais de 18 metros, onde recebe os sinais sem fios. Além disso os equipamentos sem fios utilizam cada vez mais a nuvem, transferindo os dados das ferramentas para um aplicativo no qual podem ser compartilhados, armazenados e visualizados por sua equipe a partir de seus laptops, tablets ou smartphones.Os técnicos podem ficar bem fora de alcance de qualquer choque ou descarga enquanto o equipamento é operado e vários parâmetros são observados e registrados. Muitas tarefas de identificação de problemas de controles de motores são classificadas como Categoria de Risco 2, o que exige o uso de uma proteção facial e balaclava com classificação de proteção contra arco. Após os módulos serem instalados, a categoria de risco pode ser diminuída para zero, com a eliminação da necessidade de proteções faciais, balaclavas desconfortáveis e luvas isolantes de borracha. Realizar diversas leituras simultaneamente ajuda a minimizar a necessidade de os funcionários entrarem novamente na área delimitada e nos limites de descarga em arco.O uso de ferramentas de teste sem contato limita consideravelmente e muitas vezes elimina completamente a necessidade de expor os funcionários aos riscos de choque elétrico, descarga em arco ou explosão. Fazer testes no interior de um painel energizado usando as mãos, pontas de prova e grampos enquanto tenta localizar pontos de medição, colocar e segurar as pontas de prova enquanto se vira para ler um medidor envolve riscos. Muitas vezes, são necessários dois funcionários para realizar esta tarefa, com o funcionário adicional sendo exposto aos riscos. Fornecer uma área de trabalho segura e prática, sem riscos elétricos é o objetivo declarado das normas de segurança elétrica. O uso de ferramentas de teste sem contato pode ajudar a alcançar essa meta e criar um ambiente de trabalho eletricamente mais seguro e mais eficiente para os funcionários.

Rodrigo Cunha é Gerente Nacional de Vendas da Fluke do Brasil, companhia líder mundial em ferramentas de teste eletrônico compactas e profissionais.

compra fluke no GRUPO POLICOM

Para conhecer as demais soluções FLUKE, acesse este link.