Norma brasileira para cabeamento estruturado é reestruturada com participação do Grupo Policom

11/12/2012 às 19:59

Publicada em julho de 2012 e válida a partir de agosto de 2012, a NBR-14565:2012 "Cabeamento estruturado para edifícios comerciais e data centers", publicada pela  Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e preparada pelo Comitê Brasileiro de Eletricidade (Cobei) substitui a anterior, em vigor desde agosto de 2007, e, além de incorporar orientações para Data Center, abandonou, já no título, a denominação de cabeamento de telecomunicações para edifícios comerciais, assumindo sua vocação em cabeamento estruturado.

Na prática, esse documento revisa e atualiza a versão anterior da norma e, ao ampliar a  cobertura para cabeamento estruturado em edifícios comerciais e data centers, auxilia tanto o projetista como o instalador de cabeamento estruturado na realização de especificação correta e focada nas melhores práticas de instalação.

Resultado de discussões durante cerca de dois anos entre voluntários, sejam da área acadêmica, sejam representantes de fabricantes, distribuidores, projetistas, consumidor e usuário, a NBR-14565:2012 foi realizada pela Comissão de Estudo CE 03:046.05, do Cobei, coordenada pelo  doutor Paulo Sérgio Marin  - consultor independente especialista em infraestrutura de TI, Telecom e ambientes de missão crítica - e com 25 membros, entre os quais Carlos Cruz, engenheiro de aplicações da divisão Industrial Networks do Grupo Policom. A norma foi  elaborada com base na Norma Internacional ISO/IEC 11801:2010 (Edição 2.1) e está em fase com normas do setor em àâmbito internacional, como a série ANSI/TIA 568C, entre outras.

A NBR 14565:2012, como resume Carlos Cruz, especifica um sistema de cabeamento estruturado para uso nas dependências de um único ou um conjunto de edifícios comerciais em um campus, bem como para a infraestrutura de cabeamento estruturado de data centers. Ela cobre os cabeamentos metálicos e ópticos.

Desse modo, aplica-se a redes locais (LAN) e redes de campus (CAN), quando aplicada a edifícios comerciais e data centers. Nos ambientes de data centers   , explica Cruz, “a aplicação limita-se ao cabeamento interno para a conexão dos equipamentos de tecnologia da informação (TI), segurança e automação usados nos data centers.O cabeamento especificado nessa norma suporta ampla variedade de serviços, incluindo voz, dados, vídeo e sistemas de automação de edifícios”.

Para Marin, é importante a convicção de que uma norma sozinha não resolve o problema, “traz as regras, mas não as especificações dos cabos que estão em outra norma, por exemplo. Por isso traz uma seção de referências normativas que são parte integrante dela”, frisa, informando que há uma seção de definições, abreviação e símbolos. Neste caso, ponto importante é que foram mantidas as abreviações e definições usuais no mercado, pois também nesse campo “a norma consolida o que já estava sendo praticado”, esclarece.

Em termos técnicos, a norma recomenda como estrutura mínima para Data Center cabeamento Categoria 6A em cobre para qualquer subsistema horizontal e a fibra óptica OM3. Independentemente do ambiente (edifícios comerciais ou data centers),  a NBR 14565:2012 reconhece as categorias  3, 5e, 6, 6A e 7, o que, para Marin, constitui-se “avanço em termos mundiais, porque organismos com a TIA, por exemplo, ainda não reconhecem a Categoria 7”.

O coordenador da Comissão de Estudo também destaca três anexos. O Informativo F, que traz as melhores práticas para projeto e instalação de infraestrutura para Data Centers, com recomendações sobre a infraestrutura desses espaços. O Informativo G, ressalta Marin, contém recomendações sobre sistema de automação e controle do edifício “para auxiliar o projetista que deseja usar o cabeamento estruturado como base para os outros sistemas de automação e controle”.  O terceiro anexo é o Informativo H, com simbologia para cabeamento estruturado, que busca harmonizar a linguagem, na tentativa de formar uma biblioteca de símbolos.

A norma está disponível para aquisição por todos os interessados no site da ABNT   http://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=91368.

A efetivação dessa norma levou o Grupo Policom, em 27 de agosto, a promover um treinamento, que pode ser assistido no canal do Grupo Policom no Youtube, que pode ser assistido clicando na imagem acima ou no endereço  http://www.youtube.com/watch?v=4Ebo7_y3usU&feature=plcp.