Notícias

A ver os posts de Novembro, 2018

NEXANS implementa infraestrutura de comunicação de alta velocidade, integrando 6 unidades da Fametro.

A Fametro (Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza) conectou os seus seis campus universitários implementando um sistema de comunicação completo da Nexans. O projeto contou com uma solução de  infraestrutura de transmissão de dados para Data Center e cabeamento estruturado customizados pela empresa líder global em soluções avançadas de cabeamento e conectividade.

O objetivo do projeto foi proporcionar maior velocidade em comunicação, segurança e conexão entre todas as unidades da instituição de ensino, localizadas em Fortaleza e Maracanaú, no estado do Ceará.

Mais de 1.500 usuários administrativos e acadêmicos se beneficiarão do novo sistema, por meio de 600 pontos de rede trafegando numa velocidade de 460 Mbps, suportada por um backbone (conexão intrabuilding e interbuilding) de 10 Gbps.

 

A Nexans atuou no projeto desde o desenvolvimento até a instalação, realizando consultoria na implementação e dando todo  o suporte ao cliente, juntamente com seu parceiro de projetos Conexão Informática. No total, foram instalados aproximadamente 43 mil metros de cabos LAN da Nexans e acessórios de conectividade, como patch panels, patch cords   e conectores Essential CAT6 e LANmark CAT 6A para o ambiente de Datacenter.

A FAMETRO

Pautada pela responsabilidade de promover o desenvolvimento profissional dos estudantes, a Faculdade Metropolitana de Fortaleza tem como foco o protagonismo de seus alunos no ensino, na pesquisa, na extensão e no mercado de trabalho. 

Com 15 anos de atuação e uma estrutura que combina tradição  e modernidade, a Fametro possui 8.158 alunos de graduação e1.421 alunos de pós-graduação distribuídos em seus seis campus no estado do Ceará. 

A instituição investe em Núcleos de Atividades Práticas que abrigam amplas salas de aulas, auditórios e laboratórios completos com tecnologias inovadoras. Dentre os cursos oferecidos, estão aqueles da área do Direito, Educação, Tecnologia e Saúde.

A NEXANS

Como líder global  em  soluções  avançadas  de  cabeamento e conectividade, a Nexans traz energia à vida a partir de uma extensa gama de produtos referência no mercado e serviços inovadores. Por mais de 120 anos, a inovação tem sido a marca da companhia, possibilitando a Nexans a conduzir um futuro mais seguro, inteligente e eficiente junto a seus clientes. 

Hoje, o Grupo Nexans está comprometido em facilitar a transição da energia e apoiar o  crescimento  exponencial  de  dados  por meio do fortalecimento de seus clientes em 4 principais negócios: Construção & Territórios (incluindo utilitários, redes inteligentes, e-mobility), Alta Tensão & Projetos (cobrindo parques eólicos offshore, interconexões submarinas, alta tensão terrestre), Telecom & Dados (cobrindo transmissão de dados, redes de telecom, data centers hiperescaláveis, LAN), e Indústria & Soluções (incluindo renováveis, transporte, óleo & gás, automação e outros).


A Responsabilidade Social Corporativa é um princípio fundamental nos negócios e práticas internas da Nexans. Em 2013, a Nexans  se tornou o primeiro fabricante de cabos a  criar uma Fundação apoiando iniciativas sustentáveis, levando acesso à energia para comunidades desprivilegiadas ao redor do mundo. O compromisso do Grupo com o desenvolvimento ético, sustentável e de alta qualidade de seus cabos conduz o seu envolvimento ativo junto a várias associações industriais, incluindo a Europacable, The National Electrical Manufacturers Association (NEMA), International Cablemakers Federation (ICF) ou CIGRE, por exemplo. 

A Nexans emprega mais de 26 mil pessoas e está presente com atividades industriais e comerciais em 34  países  ao  redor do mundo. Em 2017, o Grupo gerou 6.4 bilhões  de  euros em vendas. A Nexans está listada na Euronext Paris, compartimento A.

Para conhecer as demais soluções NEXANS, acesse este link.

Como manter eletricistas longe do perigo

Escrito por Rodrigo Cunha

A base de qualquer programa de segurança elétrica é limitar a exposição dos funcionários aos riscos elétricos de choque e descarga. A utilização de pontas de prova e grampos no interior de um painel energizado ao identificar um problema e executar manutenção de rotina sempre expõem os profissionais ao perigo. O equipamento de proteção individual (EPI) de eletricidade é uma última linha de defesa e nunca deve ser considerado como o método primário para proteger eletricistas e técnicos. Práticas de trabalho seguro, inclusive o uso de ferramentas de teste sem contato que não exigem que os trabalhadores que lidam com eletricidade coloquem-se em risco de ferimentos devem ser consideradas em primeiro lugar quando o assunto é segurança elétrica.

Sempre que os funcionários são expostos a riscos elétricos devem estabelecer limites e usar roupa com classificação de proteção apropriada, além de luvas de isolamento de borracha. Reduzir com segurança a quantidade de EPIs utilizados, o número de funcionários dentro dos limites e até mover completamente o técnico ou eletricista para fora de todos os limites e para longe do perigo potencial são os principais benefícios de segurança oferecidos pelas medições sem contato.

O passo mais simples

Entre as ferramentas de teste sem contato mais simples de serem usadas estão os termômetros infravermelho (IR) sem contato. A ferramenta projeta um raio laser onde a temperatura deve ser medida, obtendo uma uma leitura diretamente no display. A temperatura detectada depende da distância da ferramenta ao ponto da medição. É preciso ter cuidado para alcançar resultados precisos. Quando o assunto é segurança, utilizar um termômetro IR significa não ter a necessidade de subir escadas para verificar temperaturas de escapamento da ventilação, nenhum acesso a faixas e toneis quentes para investigar problemas do processo, nenhuma proximidade com eixos rotativos para verificar pontos quentes no motor e nenhum contato com o interior de painéis energizados para verificar a temperaturas de componentes.

Termômetros infravermelhos e visuais

Uma ferramenta mais avançada e prática é o termômetro IR visual. Além das características de termômetro de IR padrão, o termômetro visual fornece uma imagem digital que cria um mapa de aquecimento em infravermelho, como um termovisor. O termômetro de IR visual é mais preciso, pois não calcula apenas a média em áreas circundantes. Em vez disso, o mapa de aquecimento é combinado com uma imagem digital padrão, o que facilita a rápida identificação de áreas problemáticas. Você pode fazer o download de imagens digitais para o computador para uma análise mais aprofundada, o que lhe permite trabalhar a distâncias seguras, bem além dos limites de choque e de descarga em arco. O mapa de aquecimento de um termômetro visual permite a rápida identificação de condutores e terminais superaquecidos e possíveis riscos de incêndio pelas finalizações. Contatos e componentes elétricos superaquecidos podem indicar falhas de equipamento pendentes e possíveis problemas de descarga. Identificar e reduzir riscos são a meta de todos os programas de segurança.

Como usar um termovisor

Os termovisores não só captam e medem a energia infravermelha (calor) que emana de uma fonte, como produzem uma imagem térmica. Uma medição sem contato com um termovisor identifica o potencial de falha em tempo real e, o mais importante, mantém o técnico a uma distância muito mais segura enquanto diagnostica um problema potencialmente perigoso.Uma profissional treinado para utilizar um termovisor pode trabalhar como parte de uma equipe de dois homens (a pessoa qualificada adicional ajuda com a definição de limites e abertura de portas de gabinetes) e pode mover-se rapidamente por uma instalação identificando circuitos sobrecarregados, equipamento elétrico e mecânico rotativo defeituoso, além de problemas de processos térmicos. Evitar possíveis problemas de segurança ao corrigir a falha antecipadamente é outro requisito importante para um ambiente de trabalho seguro.

Ampliando a janela de segurança

Usar uma janela de infravermelho (IR) em conjunto com um termovisor amplia ainda mais o escopo de segurança. As janelas de IR relativamente pequenas e circulares podem ser permanentemente instaladas em gabinetes que fazem parte do programa de visualização térmica da instalação, ou podem ser montados em gabinetes de equipamentos que podem produzir uma descarga perigosa caso aconteça um acidente enquanto a porta estiver aberta. Ao inspecionar através de uma janela de IR classificada para resistir a uma descarga ou explosão, não é necessário nem abrir uma porta do gabinete. Como isso, praticamente não há exposição do técnico a choques ou descargas. É difícil para a área manutenção de rotina e a identificação de problemas terem algo mais seguro.

Mantenha sua distância Uma ferramenta que muitas vezes é subestimada ao lidar com a segurança é a trena a laser. Geralmente considerada apenas como um item de conveniência, esta ferramenta de medição de distância sem contato também aumenta a segurança ao realizar tarefas como a condução de um estudo sobre descarga em arco. Esta análise de engenharia exige medir os comprimentos entre o condutor e o equipamento. Em vez de usar trenas de aço e escadas com duas pessoas que se encontram em posições precárias perto e acima de bandejas de cabos e comutadores, a trena a laser permite realizar muitas medições de distância com segurança, a partir do chão e por apenas uma pessoa.

Não entre em contato com uma peça energizada

Os detectores de tensão sem contato permitem detectar tensões sem a necessidade de fazer contato com uma peça energizada. Para verificações rápidas de um receptáculo ou identificação de um problema em um circuito de iluminação, a utilização de um detector de tensão é mais segura do que a colocação de pontas de prova em um receptáculo e muito mais segura do que abrir caixas de conexões elétricas e de iluminação. Os usuários devem estar cientes que os detectores de tensão indicam apenas a alimentação no lado não aterrado do circuito; não indica no lado do condutor aterrado ou no neutro.

Mostrador remoto

Os multímetros de visor remoto permitem que as leituras sejam realizadas a até 9 metros do equipamento que está sendo monitorado. A unidade de display é retirada do multímetro enquanto o medidor e as pontas de prova (ou grampo) permanecem no ponto de medição. As aplicações de segurança incluem fechar a porta em um cubículo MCC ou desconectar e permanecer a uma distância segura para medir a corrente de partida do motor. Estar diretamente em frente a um acionador de motor quando um grande motor trifásico drena muitas vezes sua corrente normal de funcionamento na partida não é algo apropriado, mesmo com o EPI adequado.  Por isso, o uso de ferramentas sem contato reduz consideravelmente o risco ao pessoal.

Ferramentas sem fio

As ferramentas sem fios fornecem a tecnologia mais avançada para aprimorar a segurança. O próprio multímetro digital, por exemplo, por meio de seu display, pode ser mantido e observado a uma distância segura, de mais de 18 metros, onde recebe os sinais sem fios. Além disso os equipamentos sem fios utilizam cada vez mais a nuvem, transferindo os dados das ferramentas para um aplicativo no qual podem ser compartilhados, armazenados e visualizados por sua equipe a partir de seus laptops, tablets ou smartphones.Os técnicos podem ficar bem fora de alcance de qualquer choque ou descarga enquanto o equipamento é operado e vários parâmetros são observados e registrados. Muitas tarefas de identificação de problemas de controles de motores são classificadas como Categoria de Risco 2, o que exige o uso de uma proteção facial e balaclava com classificação de proteção contra arco. Após os módulos serem instalados, a categoria de risco pode ser diminuída para zero, com a eliminação da necessidade de proteções faciais, balaclavas desconfortáveis e luvas isolantes de borracha. Realizar diversas leituras simultaneamente ajuda a minimizar a necessidade de os funcionários entrarem novamente na área delimitada e nos limites de descarga em arco.O uso de ferramentas de teste sem contato limita consideravelmente e muitas vezes elimina completamente a necessidade de expor os funcionários aos riscos de choque elétrico, descarga em arco ou explosão. Fazer testes no interior de um painel energizado usando as mãos, pontas de prova e grampos enquanto tenta localizar pontos de medição, colocar e segurar as pontas de prova enquanto se vira para ler um medidor envolve riscos. Muitas vezes, são necessários dois funcionários para realizar esta tarefa, com o funcionário adicional sendo exposto aos riscos. Fornecer uma área de trabalho segura e prática, sem riscos elétricos é o objetivo declarado das normas de segurança elétrica. O uso de ferramentas de teste sem contato pode ajudar a alcançar essa meta e criar um ambiente de trabalho eletricamente mais seguro e mais eficiente para os funcionários.

Rodrigo Cunha é Gerente Nacional de Vendas da Fluke do Brasil, companhia líder mundial em ferramentas de teste eletrônico compactas e profissionais.

compra fluke no GRUPO POLICOM

Para conhecer as demais soluções FLUKE, acesse este link.

ENTREVISTA EXCLUSIVA: Jim Davis, diretor de Vendas da América Latina da Fluke Networks

Diretor de Vendas da América Latina da Fluke Networks e membro de diversos comitês de padrões de cabeamento internacionais, somando mais de 25 anos de experiência na indústria de cabeamento, Jim Davis, ministrou treinamento no Grupo Policom, direcionado a profissionais que realizam instalação de redes de cabeamento e focado em certificação. Na ocasião, foi entrevistado pelo Cabling News.

Confira!

 

Quando falamos em certificação, há sempre duas vertentes: a da rede e a dos profissionais responsáveis pela instalação do cabeamento estruturado ou óptico. Focando inicialmente na rede, qual a importância da certificação?

A certificação do cabeamento é vista por muitos como custo, mas, na realidade, é uma garantia de que o cabeamento está corretamente instalado e que o cliente está recebendo o que está pagando. É uma garantia para todos os envolvidos no projeto.

E a certificação do profissional, qual sua importância?

Uma equipe formada por profissionais com conhecimento técnico dos certificadores de rede configura corretamente o equipamento de testes e leva em conta as diferenças entre medições de canal e de enlace permanente, entre outros aspectos, com ganhos de tempo e de produtividade. Estudo realizado pela Fluke mostrou os gargalos nas medições, que levam à perda de tempo, e as correções implementadas possibilitaram redução de tempo de 12 segundos para 8 segundos por teste. Individualmente parece pouco, mas, em instalações Cat 6A, esses 4 segundos fazem diferença. No entanto, esses ganhos só são possíveis com profissionais treinados e certificados, pois a certificação amplia o conhecimento técnico do profissional e a eficiência do trabalhador.

O DTX está saindo do mercado e sendo substituído pela família Versiv, mas nota-se resistência à substituição, pois há um parque instalado em perfeitas condições de uso...

Os equipamentos da Fluke Networks são conhecidos por serem muito robustos e resistentes. O DTX foi lançado em 2003, e o mercado e a tecnologia evoluíram muito de lá para cá. O DTX está sendo descontinuado por falta de componentes e até de cartão de memória com menos de 2 GB. Além disso, os componentes do DTX não seguem o requerimento mundial ROHS. Em vez de fazermos alterações no projeto e gastar dinheiro com substituição de componentes, optamos por desenvolver uma plataforma que acompanhe a evolução da tecnologia. Assim, surgiu a linha Versiv, que traz ganhos tecnológicos importantes, que se refletem em mais agilidade e produtividade, além de integração com a nuvem, gratuitamente, o que impede a perda de dados e favorece o uso de configuração customizada para grandes obras com mais de um certificador, a configuração arquivada na nuvem é automaticamente transmitida para as máquinas. Além disso, a cada novo firmeware, a atualização é automática e gratuita.

A plataforma Versiv tem integração com a CommScope. Como funciona essa parceria?

Trabalhamos muito de perto com a CommScope para medições de fibra e incorporamos a calculadora de perda de enlace (ou Link Loss Calculator) Systimax) ao conjunto de teste de perda óptica CertiFiber Pro, da Fluke Networks, e ao serviço de nuvem LinkWare Live. A parceria traz ganhos importantes para o integrador e o cliente final, pois, em uma instalação com tecnologia CommScope, o integrador coloca os dados e os componentes utilizados e o certificador avisa se os resultados obtidos são aceitáveis ou não.

Como vê o mercado atual?

É muito crescente a instalação de data centers até porque eles têm de estar fisicamente próximos ao usuário, pois não é viável ter um só data center onde a energia é mais barata, mas longe das pessoas. Por isso, tende a ter mais obras, aumentando a necessidade de certificação.

 

 

Dahua Technology anuncia integração com AxxonSoft

Escrito por Redação Digital Security 29/10/2018

A aproximação entre as empresas proporcionará a integração entre as soluções e vantagens aos clientes

Fornecedor de soluções na indústria global de vigilância por vídeo, a Dahua Technology e a empresa de VMS, AxxonSoft, anunciam uma parceria para desenvolver soluções em conjunto para o mercado. O primeiro passo será a integração dos principais modelos de câmeras IP Dahua ao software da AxxonSoft.

A iniciativa – que trará mais valor à base compartilhada de clientes – é parte do esforço da Dahua Technology para continuar a crescer no mercado brasileiro. “Estamos estreitando o nosso relacionamento com as principais marcas de VMS do mercado brasileiro com o intuito de fortalecer os nossos negócios e também desenvolver soluções em conjunto para o mercado”, afirma o diretor de canais, Fabio Lopes.

O gerente de produtos, Eduardo Ramos, está conduzindo o processo de integração técnico junto aos engenheiros do VMS que, posteriormente, renderá uma série de vantagens para integradores e canais que trabalham com as duas empresas.

Conheça as soluções DAHUA

Fonte: