Notícias

A ver os posts de Dezembro, 2012

Univates e CommScope: parceria permite certificação internacional de tecnólogos

[caption id="attachment_1643" align="alignright" width="269"] Alunos da Univates, do curso de Tecnologia em Redes de Computadores, certificados CommScope[/caption]

Focado na formação de tecnólogos, em dois anos e meio, o curso superior de Tecnologia em Redes de Computadores, da Univates, de Lajeado (RS) possibilita a obtenção de quatro certificações internacionais, entre elas da CommScope.

Essa condição, segundo Luís Antônio Schneiders, coordenador do curso de Redes de Computadores, “agrega na formação e na empregabilidade dos alunos”.

A certificação é resultado de parceria da Policom RS e da CommScope com universidade, alinhavada durante um ano. Além de abrir um novo segmento profissional com formação acadêmica, a meta é impulsionar a qualificação na área de TI, preparando tecnólogos que somam ao mercado de trabalho.

“Nós, do Grupo Policom, orgulhamo-nos em fazer parte deste projeto pioneiro em toda a América Latina e parabenizamos todos os seus gestores e em especial a Reitoria da Univates, que bem tem representado toda a pujança da cidade de Lajeado e todo o Vale do Taquari/RS”, afirma Eli Lourenzi, diretor comercial da Policom RS.

Ricardo Alberto Wassermann, gerente de conta da CommScope, frisa que a Univates é a primeira universidade da região da América Latina e Caribe a aplicar o Programa Educacional da CommScope e “permitiu a construção de um contrato padrão Brasil, pronto para ser replicado em outros estabelecimentos. Para CommScope é de extrema importàância este tipo de ação, visto que procura elevar o nível técnico dos profissionais que se preparam ano a ano para o mercado de trabalho, bem como reforça o nome da CommScope junto a estes futuros profissionais”.

A meta para 2013, segundo os executivos, é expandir as ações e a parceria.

O Grupo Policom lhe deseja Boas Festas!

 

Norma brasileira para cabeamento estruturado é reestruturada com participação do Grupo Policom

Publicada em julho de 2012 e válida a partir de agosto de 2012, a NBR-14565:2012 "Cabeamento estruturado para edifícios comerciais e data centers", publicada pela  Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e preparada pelo Comitê Brasileiro de Eletricidade (Cobei) substitui a anterior, em vigor desde agosto de 2007, e, além de incorporar orientações para Data Center, abandonou, já no título, a denominação de cabeamento de telecomunicações para edifícios comerciais, assumindo sua vocação em cabeamento estruturado.

Na prática, esse documento revisa e atualiza a versão anterior da norma e, ao ampliar a  cobertura para cabeamento estruturado em edifícios comerciais e data centers, auxilia tanto o projetista como o instalador de cabeamento estruturado na realização de especificação correta e focada nas melhores práticas de instalação.

Resultado de discussões durante cerca de dois anos entre voluntários, sejam da área acadêmica, sejam representantes de fabricantes, distribuidores, projetistas, consumidor e usuário, a NBR-14565:2012 foi realizada pela Comissão de Estudo CE 03:046.05, do Cobei, coordenada pelo  doutor Paulo Sérgio Marin  - consultor independente especialista em infraestrutura de TI, Telecom e ambientes de missão crítica - e com 25 membros, entre os quais Carlos Cruz, engenheiro de aplicações da divisão Industrial Networks do Grupo Policom. A norma foi  elaborada com base na Norma Internacional ISO/IEC 11801:2010 (Edição 2.1) e está em fase com normas do setor em àâmbito internacional, como a série ANSI/TIA 568C, entre outras.

A NBR 14565:2012, como resume Carlos Cruz, especifica um sistema de cabeamento estruturado para uso nas dependências de um único ou um conjunto de edifícios comerciais em um campus, bem como para a infraestrutura de cabeamento estruturado de data centers. Ela cobre os cabeamentos metálicos e ópticos.

Desse modo, aplica-se a redes locais (LAN) e redes de campus (CAN), quando aplicada a edifícios comerciais e data centers. Nos ambientes de data centers   , explica Cruz, “a aplicação limita-se ao cabeamento interno para a conexão dos equipamentos de tecnologia da informação (TI), segurança e automação usados nos data centers.O cabeamento especificado nessa norma suporta ampla variedade de serviços, incluindo voz, dados, vídeo e sistemas de automação de edifícios”.

Para Marin, é importante a convicção de que uma norma sozinha não resolve o problema, “traz as regras, mas não as especificações dos cabos que estão em outra norma, por exemplo. Por isso traz uma seção de referências normativas que são parte integrante dela”, frisa, informando que há uma seção de definições, abreviação e símbolos. Neste caso, ponto importante é que foram mantidas as abreviações e definições usuais no mercado, pois também nesse campo “a norma consolida o que já estava sendo praticado”, esclarece.

Em termos técnicos, a norma recomenda como estrutura mínima para Data Center cabeamento Categoria 6A em cobre para qualquer subsistema horizontal e a fibra óptica OM3. Independentemente do ambiente (edifícios comerciais ou data centers),  a NBR 14565:2012 reconhece as categorias  3, 5e, 6, 6A e 7, o que, para Marin, constitui-se “avanço em termos mundiais, porque organismos com a TIA, por exemplo, ainda não reconhecem a Categoria 7”.

O coordenador da Comissão de Estudo também destaca três anexos. O Informativo F, que traz as melhores práticas para projeto e instalação de infraestrutura para Data Centers, com recomendações sobre a infraestrutura desses espaços. O Informativo G, ressalta Marin, contém recomendações sobre sistema de automação e controle do edifício “para auxiliar o projetista que deseja usar o cabeamento estruturado como base para os outros sistemas de automação e controle”.  O terceiro anexo é o Informativo H, com simbologia para cabeamento estruturado, que busca harmonizar a linguagem, na tentativa de formar uma biblioteca de símbolos.

A norma está disponível para aquisição por todos os interessados no site da ABNT   http://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=91368.

A efetivação dessa norma levou o Grupo Policom, em 27 de agosto, a promover um treinamento, que pode ser assistido no canal do Grupo Policom no Youtube, que pode ser assistido clicando na imagem acima ou no endereço  http://www.youtube.com/watch?v=4Ebo7_y3usU&feature=plcp.  

Uniprise marca presença em centro médico em Alphaville

Em operação desde janeiro de 2012, o Medic Life Alphaville foi concebido, desde o projeto, como um empreendimento Classe A, baseado em conceitos de alta sofisticação com 100% de infraestrutura de tecnologia para comunicação de voz, dados e imagem de forma da garantir a operacionalidade dos consultórios e clínicas.

No total, o complexo conta com cerca de 250 consultórios entre 30 m² e 900 m², distribuídos em 15 andares, além de cinco subsolos de garagens, lojas, centro de reabilitação com academia especializada, laboratório e day hospital e heliponto.

Todos os serviços são disponibilizados em cada espaço, com a garantia de fornecimento ininterrupto de energia, ambiente interno e externo com monitoramento e gravação de imagens com tecnologia IP de alta resolução para segurança patrimonial do empreendimento, possibilidade de criação de consultórios inteligentes  sob demanda com serviços personalizados de atendimento e agendamento de consultas, entre muitos outros.

Com projeto arquitetônico do arquiteto Jose Lucena, especializado em Arquitetura Hospitalar para Medicina Preventiva nos Estados Unidos, o Medic Life foi idealizado e construído pela CNA Spitaletti Construtora e Incorporadora.

Como explica o engenheiro Adão Ferreira, diretor de obras da CNA Spitaletti, a meta é que cada usuário chegue e se plugue à  rede, dispensando instalações dedicadas. Além disso, cada conjunto do Medic Life já possui total disponibilidade para comunicação de voz e dados de modo a atender pequenas, médias e grandes demandas requeridas pelos usuários.

Para atender todo esse complexo para múltiplos usuários, que soma área total de 31 mil m², tecnologias de ponta se fazem presentes. Doze elevadores inteligentes de alta velocidade (sendo um privativo para os médicos, com biometria digital), sistema de refrigeração e ar condicionado com central de água gelada, três geradores (1 de 460 KVA e dois de 360 KVA), monitoramento de CFTV e sistema de controle de acesso somam-se aos sistemas de energia, controle predial e telecomunicações.

O acesso à s tecnologias disponíveis e favorecer a implementação de tecnologias médicas de última geração, como transmissão de resultados de sistemas de diagnóstico por imagens, é prioridade no Edifício Medic Life Day Hospital. Para isso, a infraestrutura de cabeamento estruturado Categoria 6 possibilita a disponibilização de serviços de telefonia IP, internet dedicada de alta velocidade, acesso wi-fi, automação predial, transporte de imagens em tempo real e serviços agregados para gestão hospitalar.

No total, aos 435 pontos Categoria 6 Uniprise, da CommScope, somam-se 48 pontos em fibra óptica LazrSpeed 150 e 12.000 pontos de telefonia, com conectores de engate rápido Systimax e cabos telefônicos Coopersalto, assim como racks e minirracks Knà¼rr. O projeto idealizado e concebido pela Global Blue Consultig And Business Solutions (www.globalblue.com.br ) teve como objetivo principal disponibilizar um novo conceito de infraestrutura e serviços tecnológicos para o segmento médico. A implementação dos serviços foi feita pela Tecno Cabling, com materiais fornecidos pela Paris Cabos, empresa do Grupo Policom.